domingo, 27 de julho de 2014

Quando sinto tédio


Quando sinto tédio
pego pena e pergaminho

em
               versos
                   monótonos
preenchendo
               o
                    mundo.



terça-feira, 22 de julho de 2014

É voraz, a moça


Consumi o caderno de estudos
em poesias apressadas.

É voraz, a moça
como um buraco negro:

a musa pede,
ai de nós se não escrevermos.




domingo, 20 de julho de 2014

Ler histórias de fantasmas


Ler histórias de fantasmas
podem te fazer
               refletir:
               vida, perda, ganhos,
               essas coisas

o que se passou
e jamais será

talvez dê arrepios

e, talvez,
faça pensar

que os fantasmas somos nós
assombrando
sonhos alheios.




terça-feira, 15 de julho de 2014

Sol da tarde calmo no inverno


Sol da tarde
calmo
no inverno

jogos de luz e sombra
na calçada à frente

enquanto eu aguardo o almoço
lembrando do meu
filho Glauco.




sábado, 12 de julho de 2014

Ela me acordou eu sonhava


Para o Gil

Ela me acordou eu sonhava:

relva sobre as
dunas

eu e meu irmão
brincando
sob a lua.




sexta-feira, 4 de julho de 2014

Transeuntes em marcha

Transeuntes em marcha
determinados
apressados

passos apertados

               o trabalho espera
               o compromisso espera

avançam, rápidos

sem parar

e nem percebem
naquela velocidade

as folhas que caem
               no Campo de Santana.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...